Acredito que o mais importante a ser desenvolvido num músico iniciante é uma técnica sólida. Isso lhe trará benefícios tais como um timbre excelente, uma pegada ótima e liberdade para a escolha de repertório, já que estará apto a tocar qualquer música com qualidade. Por isso há uma ênfase maior nesse aspecto no início para depois ocupar o status de apenas exercícios para aquecimento das mãos.

Ensinar técnica é basicamente ensinar alguém a tocar o instrumento. Embora isso pareça óbvio, é impressionante como muitos professores ignoram completamente a formação técnica. Ao invés disso, acham mais fácil ensinar músicas desde o início sem ensinar as habilidades necessárias para executar essas músicas corretamente. Esse tipo de aula é o que vemos de graça na Internet na maioria dos casos.

Ocasionalmente, um professor consegue um aluno naturalmente dotado, que não é prejudicado por este método (ou falta de método), mas a maioria dos alunos acaba desenvolvendo maus hábitos e vícios. Estes vícios inevitavelmente trarão problemas, quando o aluno quiser tocar músicas mais difíceis.

A frustração enfrentada por alunos que desenvolvem uma técnica pobre muitas vezes os leva a abandonar o instrumento, já que será uma luta constante fazer soar bem a música que estão tentando tocar. Os alunos podem pensar que a “culpa” é deles, acreditando que não têm talento ou habilidade, quando, na verdade, foi a falta de instrução adequada que causou essas deficiências.

Quando desenvolvem uma técnica pobre, para melhorar sua forma de tocar, terão que corrigi-la praticamente aprendendo a tocar guitarra de novo. É muito melhor aprender a tocar violão/guitarra corretamente pela primeira vez do que aprender de forma inadequada e ter que reaprender.

Minha abordagem é ensinar as técnicas necessárias e em seguida, escolher cuidadosamente as músicas que serão tocadas usando essas técnicas. Obviamente, os alunos irão ficar entediados se tiverem apenas exercícios técnicos para praticar, então deve haver um equilíbrio entre técnica e tocar músicas que usam essas técnicas. Por exemplo, eu ensino a escala pentatônica muito cedo no curso, já que é uma escala útil tanto para desenvolver o posicionamento da mão quanto para tocar músicas interessantes. Com esta escala, os alunos podem criar solos de guitarra sobre músicas de blues ou rock. Assim, estarão fazendo música e se divertindo ao mesmo tempo em que desenvolvem sua mão esquerda.

Diferentes estilos de música requerem diferentes níveis de técnica, mas a técnica de guitarra acaba sendo a mesma. Obviamente, é o aluno quem escolhe aonde quer chegar, mas ele deve ter consciência disso, pois sem uma preparação adequada qualquer músico terá grandes dificuldades ao tentar tocar uma música tecnicamente difícil, como um standard de jazz ou uma música de rock mais complicada.

Meu objetivo é desenvolver os alunos para que eles possam tocar qualquer estilo de música que queiram e em qualquer nível de dificuldade.

Muitos alunos começam querendo aprender músicas com power-chords (bicordes), mas tornam-se mais ambiciosos em relação à música que querem tocar, já que são capazes de fazer isso.

Uma formação técnica sólida dá aos alunos uma base sobre a qual eles podem construir seu aprendizado e permite aprender, com sucesso, músicas cada vez mais difíceis.

 

Índice

Luciano Menezes é guitarrista e professor de guitarra, violão e teoria musical em São Paulo e São Bernardo do Campo. Aulas presenciais, em domicílio e pelo SKYPE.

Facebook  YouTube  SoundCloud

Anúncios